terça-feira, 8 de março de 2011

Ser Sal e Luz

Estamos no ano do Evangelho de Mateus.
 Mateus 5,13-16.
    O assunto de hoje, vamos meditar sobre duas comparações muito conhecidas que Jesus nos deixou. Ele diz que a comunidade deve ser sal da terra e luz do mundo. O sal não existe para si, mas para dar sabor à comida. A luz não existe para si, mas para iluminar o caminho. A comunidade não existe para si, mas para o povo do bairro. Vamos conversar sobre isto:
1.     Como as pessoas do bairro vêem a nossa comunidade?
2.     Nossa comunidade exerce alguma atração? É sinal? Sinal de quê? Para quem?

Mateus 5,13: sal da terra.
     Usando imagens do dia-a-dia, com palavras simples e claras, Jesus faz saber qual a missão da comunidade: ser sal! Ser luz! Naquele tempo, com o calor que fazia o povo e os animais precisavam comer muito sal. O sal, entregue pelo fornecedor em grandes blocos, ia sendo usado pelo povo. No fim, aquilo que sobrava ficava como poeira no chão. Não servia para mais nada. Jesus evoca este costume para esclarecer os discípulos e as discípulas sobre a missão que deviam realizar.
Mateus 5,14-16: luz do mundo.
    A comparação é óbvia. Ninguém acende uma vela para colocá-la debaixo de um caixote. Uma cidade situada em cima de um morro não consegue ficar escondida. A comunidade deve ser luz, deve iluminar. Não deve ter medo que apareça o bem que faz. Não o faz para aparecer, mas o que faz pode aparecer.  O sal não existe para si.  A luz não existe para si! Assim deve ser a comunidade: ela não pode fechar- se sobre si mesma.
MENSAGEM
     Sua luz deve brilhar de dentro para fora.
     Procure manifestar a todos a luz interior que vibra em você, através de seus atos e de suas palavras de compreensão e de otimismo.
    Seja você mesmo sua própria luz, iluminando a todos com suas palavras de conforto e incentivo, com seu sorriso de entusiasmo e encorajamento, com seu exemplo de Fé e otimismo.

 AFONSO DIAS É BÍBLISTA, E ASSESSOR DO CEBÍ-SP E SUL DE MG.
(meu professor do curso Biblico)

Nenhum comentário: