segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sou humano

Erro, logo sou humano. 
   A coisa mais fácil que existe na vida é errar. Na verdade, a vida é um longo e continuo aprendizado. E ao longo desse caminho erramos. 
  Não uma ou duas vezes, pelo contrário, muitos são os erros que nos acompanham. Errar nos faz humanos. Talvez fosse melhor dizer que nos faz mais humanos. 
  A fragilidade do ser humano faz com que ele busque construir a si mesmo e o seu próprio mundo. E nessa busca há os contratempos. Turbulências que se apresentam  alterando significativamente a rota até então planejada.
  Minha humanidade me faz errar. E o erro me leva a buscar alternativas para acertar. Nem sempre é fácil encontrar alternativas, mas sempre é possível. Se fôssemos programados para acertar sempre, seriamos, talvez, seres humanos frustrados e incapazes de fazer escolhas, de procurar novos caminhos e de pensar alternativamente. 
  Não, não gosto de errar. Afinal, o erro marca negativamente a vida. cria estereótipos difíceis de ser quebrados. Inviabiliza uma série de possibilidades que poderiam ser vividas. Não, o erro não pode ser transformado em um estilo de vida e muito menos ser colocado em praça pública a fim de ser reverenciado. 
  Entretanto, o erro me faz consciente dos passos que ainda precisam ser dados. Orienta planejar melhor, estudar mais, ser um pouco mais cauteloso, pensar antes de falar e, acima de tudo me ensina que acerto pode estar logo após o erro. 
  Errar não significa abdicar dos projetos com os quais sonhamos. Não é sinônimo de fracasso, pelo contrario, é um claro indicativo de que necessitamos caminhar ainda mais algumas milhas. 
  Talvez o erro seja a mais clara indicação de que estamos próximos do acerto ...



Nenhum comentário: