sábado, 9 de julho de 2011

“O semeador saiu a semear”


XV DOMINGO DO TEMPO COMUM
EVANGELHO = MATEUS 13,1-23
Jesus conta uma parábola na qual diz que o semeador saiu a semear. O semeador encontrou vários tipos de solo. Mesmo assim ele jogou a semente.
 Se olharmos pela nossa lógica dá-se a impressão que Jesus entendia muito pouco de plantio. Falando de solo, imagina jogar uma semente de algo que queremos muito que nasça e produza frutos em meio aos espinhos ou a beira de uma estrada? Pois é, mas Jesus falava no sentido espiritual, a palavra de Deus deve ser semeada, ou seja, anunciada em todo tempo e lugar. Vamos encontrar pessoas que pensam diferentes, agem diferentes. Não devemos ficar desanimados quando alguns não quiserem ouvir e nem aceitar a palavra de Deus como meta a ser seguida. Muitos corações estão cheio de espinhos e pedras é preciso muita oração e muito amor de nossa parte para com esses irmãos que também precisam ser salvos.
Todos são livres para aceitar ou não a implantação do reino de Deus. Sabemos que assim como os primeiros anunciadores encontraram dificuldades e rejeição, também nós quando semeamos a palavra encontraremos resistência. O importante é não desistir. Ir jogando a semente e acreditando que Deus tem poder para fazê-la germinar.
 Diz a primeira leitura: “Assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vem irrigar e fecundar a terra e fazê-la germinar e dar frutos, assim à palavra que sair de minha boca; não voltará vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi ao enviá-la”.
 Muitos ouvirão a palavra e até irão vivenciá-la por um tempo porém as preocupações e os apelos do mundo os tirarão do caminho do senhor, desviando seus corações. Outros ouvirão e acolheram com amor dando abertura em seu coração para que a palavra produza frutos e se tornarão também semeadores.
 Vai depender de cada um deixar que a palavra caia em seus corações e sejam transformados por ela.
 A missão do semeador é sempre semear. Se a colheita vai ser boa ou não vai depender da resposta que daremos à palavra.
Por tanto o que Deus nos pede é tenhamos um coração bom que acolhe, ama e vive sua palavra e que saiamos de nosso comodismo e nos tornemos também semeadores de sua palavra. Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus que dá o crescimento" (1 Coríntios 3:6-7).
Em Cristo

quinta-feira, 7 de julho de 2011

“Prudentes como as serpentes e simples como as pombas”


“Prudentes como as serpentes e simples como as pombas”
Sexta-feira 08 de julho
Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 10, 16-23
Jesus nos alerta que poderemos correr perigo ao anunciar seu nome. “Eis que vós envio como ovelhas em meio de lobos”. Pede-nos prudência e simplicidade no cumprimento de nossa missão. Jesus sabia que assim como ele foi perseguido seus seguidores também sofreriam as mesmas perseguições. Por isso preparou seus discípulos para que não tivessem medo, e que não procurassem o conflito e o sofrimento gratuitamente.
Precisamos ser prudentes, pois as forças malignas deste mundo podem nos corromper, podem nos tirar o foco daquilo que é a vontade de Deus para nós. O cristão não pode ser um bobo levado por belas palavras, tem que ser alguém corajoso e ao mesmo tempo sábio para não ser enganado pelo mundo. Ser simples e humilde sabendo que o Espírito Santo é o protagonista da missão e nós instrumentos de Deus.
Jesus fala da serpente por ser um animal que está sempre atento não se expõe com facilidade. O cristão deve tomar cuidado para não se expor e assim não causar escândalo para os outros. São Paulo nos diz em Romanos 6, 3 “De nossa parte, evitemos dar qualquer motivo de escândalo, para que o nosso ministério não seja criticado.”
Portanto irmãos tomem cuidado com essa sociedade corrupta que procura denegrir os valores, que coloca o certo como errado e o errado como certo. Precisamos da prudência e também precisamos da simplicidade das pombas que é o símbolo da paz. Nós os seguidores do senhor Jesus temos que vivenciar e promover a paz.  
Jesus fala da perseguição por parte até daqueles com quem convivemos. Pois ao anunciar a verdade poderemos atingir o interesse de muitos e isto nos causará perseguição e ódio. Mas a perseverança até o fim de nossa jornada nos dará a alegria de cumprir nossa missão e ter a certeza que Deus caminha conosco e o Espírito Santo falará por nós ele é nosso defensor. Sejamos espertos e humildes, procurando saber quais os momentos em nossa vida que precisamos ter a prudência das serpentes ou a simplicidades das pombas. Que Deus nos proteja e nos ajude na nossa caminhada.
Rezemos com o salmista: “A salvação dos piedosos vem de Deus; ele os protege nos momentos de aflição. O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, defende-os e protege-os contra os ímpios e os guarda porque nele confiaram.”
Em Cristo

quarta-feira, 6 de julho de 2011

“O Reino dos Céus está próximo”

07 de julho
Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 10, 7-15
         
            Após escolher os apóstolos Jesus os envia em missão. Dá orientações de como devem agir. Jesus dá a eles poder de curar os doentes, ressuscitar os mortos purificar os leprosos e expulsar os demônios. Devem anunciar o reino de paz e justiça e libertá-los de todos os males. Devem ir anunciar o nome de Jesus para a salvação da humanidade.
Jesus recomenda que quem se propõe a anunciar o evangelho não deve buscar segurança, prestigio e estabilidade financeira em sua atividade missionária. "Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro. Nem sacola, nem sandálias". Pois quem se apega a isso acaba por transformar a missão em uma função puramente lucrativa. O enviado deve estar despojado de tudo para que na humildade possa ser conduzido pelo espírito santo e assim sendo possa testemunhar os mesmos sentimentos que havia em Cristo. Precisamos deixar de lado tudo que nos impede de viver o autentico cristianismo.
A gratuidade deve fazer parte da vida de quem anuncia o reino de Deus, "de graça recebeste de graça deveis dar".
Jesus nos confia uma missão, não só os consagrados têm a missão de evangelizar, mas também todo leigo batizado. É preciso coragem por parte de nós leigos para sermos sal da terra e luz do mundo, evangelizando em nossas casas, nossos bairros nosso trabalho. A missão do leigo (a) é anunciar o Evangelho pela maneira de viver, construindo a fraternidade e a paz levando a esperança e edificando a igreja pelo testemunho e compromisso. Assumir esta postura de missionário exige coerência e muito amor.  Jesus nos alerta que poderemos ser rejeitado como ele próprio foi. Mesmo que isso aconteça não devemos desanimar, somos instrumentos de Deus e ele nos recompensará na vida eterna.
 Os Enviados são portadores da libertação; quem os rejeita, rejeita a salvação e atrai sobre si o julgamento.
Em Cristo
Rita Leite

Liturgia do dia 06 de julho de 2011

Evangelho do dia 
Mateus 10, 1-7
Os apóstolos recebem de Jesus poder para libertar os homens de todo mal que afasta-os do caminho de Deus. Os dozes apóstolo simbolizam as dozes tribos de Israel, eles são chamados e enviados para formar novas comunidades baseadas na fraternidade justiça e paz. Eles devem dar continuidade à missão de Jesus. Jesus pede que eles vão às ovelhas perdidas de Israel; isto é devem ir aos de casa. Porém Jesus lembra-os que o reino dos céus está próximo. Os sinais que demonstram isso é que a vida deve ser resgatada, os excluídos devem ser acolhidos e amados, e os oprimidos devem ser libertados do poder dos poderosos. No reino de Deus não pode ter desigualdades. Portanto dá para perceber que ainda há muito por fazer.
Jesus chama todos nós, a construção de um mundo mais humano e fraterno é nossa missão. Todos os batizados devem se sentir chamado por Jesus e responder com amor a esse chamado. Não podemos nos fazer de surdos ao ouvi-lo chamar nosso nome. Ele prometeu que estaria conosco até o fim dos tempos e sua presença nos guiará para que a justiça seja alcançada, Jesus confiou a nós seus discípulos missionários a missão de levar adiante a Boa-Nova do reino. "Como Ele foi testemunha do mistério do Pai, assim os discípulos também são suas testemunhas. Por tanto cumprir esta missão não é tarefa opcional, mas parte integrante da identidade cristã, por que é extensão testemunhal da vocação". (DA 144)
Para que nossa missão seja fecunda e dê frutos é preciso que estejamos desapegados de tudo.
Jesus nos chama pelo nome e nos envia. A evangelização é tarefa que não podemos deixar para depois é preciso anunciar o evangelho para que todos sejam libertados e reintegrados a vida na comunidade de amor.
Em Cristo
Rita Leite