terça-feira, 4 de outubro de 2011

Experiência Missionária - Por Adriano Cunha Lima sx

Aos amigos da IAM Campinas.
De todas as crianças, homens e mulheres do mundo uma só família!!!
Fazem dois anos que deixei o Brasil para viver esta bonita experiência missionária aqui na periferia de Yaoundé, capital dos Camarões. Cheguei no mês de setembro de 2009, fiz um ano de francês e um ano de teologia. Nestes dias que vêm começarei o segundo. Se Deus quizer estarei com vocês na metade do ano que vem para dois meses de férias.
Nós chamamos os Camarões de Africa em miniatura, pois aqui encontramos uma grande diversidade de clima, flora, fauna, línguas e culturas. O país é do tamanho de Minas Gerais e tem uma população de 19 milhões de habitantes. Duas cidades são as mais importantes, Douala (centro comercial) e Yaoundé (capital política). Neste ano teremos eleições presidenciais, Paul Biya nosso atual presidente está no governo à mais de 18 anos. O povo segue o ditado que diz “que mais vale um pássaro na mão que dois voando”… o país vive sem guerras aparentes, a tecnologia chega aos poucos mais chega, temos muitos jovens formados na universidade. Para eles a vinda de um outro presidente poderia atrapalhar este tal crescimento. Contudo sabemos muito bem que este país poderia ir muito mais longe com uma política voltada ao bem comum.
A educação é levada à sério, nas famílias que visito a disciplina é respeitada. As crianças participam dos trabalhos da casa, são elas mesmo que lavam as roupas da escola e os calçados. Eles tem horários para estudar em casa. Acho que nossos adolescentes podem aprender muito com os daqui. Nas famílias vemos um pouco mais de problemas. Nem sempre vemos casais estáveis e os casamentos na Igreja são raros. Falo da região onde moro, esta realidade muda muito nas outras cidades. Contudo não faltam casais leigos muito fortes na vida da paróquia. As pessoas amam muito o que aparece (não muito diferente da gente) as novas casas que estão sendo construídas são bem maiores que as nossas. Vejo muitos homens em terno e gravata. Eles são bons no protocolo e discursos públicos. Mesmo a pastoral é cheia de cerimônias.
A festa é muito importante para a vida social. Comida, música, dança e discurso estão sempre presentes. A morte é um dos acontecimentos mais celebrado. Toda família é presente, por alguns dias. Fazem grandes despesas. Nós que choramos só uma noite achamos muito estranho tudo isso, porém podemos encontrar muitos pontos positivos. Nas casas a televisão não recebe o lugar de honra na sala. Mas as salas são grandes suficiente para acolher um grupo de pessoas. A juventude fica dividida entre o tradicional e o moderno. Eles tentam estar na moda francesa ao mesmo tempo que não deixam as raízes. E isso é bonito. Mesmo se eles escutam musicas europeanas, nenhuma delas podem os deixar felizes como as músicas africanas modernas. Eles misturam tudo e o importante é o ritmo… eles dançam muito bem. Mesmo diante tudo isso não podemos esconder que a pobreza está lá. Tudo aqui é mais simples, as ruas, o Mercado, os computadores, o transporte, as escolas…
A Igreja é jovem, forte, bonita… ela vive sua adolescência. Os padres camerunêses estão aumentando. Contudo sinto a Igreja tímida no profetismo social e politico, mas este é um ponto de vista pessoal, nem sempre partilhado. Os leigos são muito disponíveis. A Igreja está sempre cheia. A missa dos jovens de 18:30 está sempre cheia. Temos quatro missas cada domingo e nossa Igreja é pequena. Estamos construindo uma nova Igreja, estamos ainda no alicerce. Aqui temos o catecumenato, tive a sorte de ser catequista de um grupo de adultos que foram batizados no ano passado. Neste ano terei um grupo de crisma para jovens e adultos. Os adultos que ainda não são batizados fazem dois anos de catecismo. Mas já existem os batismos de crianças e adolescentes. Aqui os ministérios de leigos não são fortes como no Brasil, porém acho que mesmo no Brasil estamos caminhando por uma Igreja mais romana, de padres poderosos e famosos e de leigos ovelhas.
Esta região dos xaverianos é composta de dois países: Camarões e Chade. Tudo isso que partilhei com vocês são pontos de vista que tenho da cidade onde vivo. Mas os xaverianos nos Camarões estão também em Bafoussam (uma paróquia e a filosofia), em Douala (uma casa de animação missionária e uma paróquia) e no Norte à Yagoua (uma paróquia e um centro cultural). Do Chade escreverei um outro dia, lá tudo é diferente, precisarei de tempo. Nossa comunidade de Teologia esta, como já tinha dito, em Yaoundé. Aqui temos uma paróquia, mas o pároco mora conosco, assim fazemos uma comunidade de formação e de apostolado. Neste ano somos 23 pessoas debaixo do mesmo teto. 19 estudantes e 4 padres. Somos de várias nacionalidades diferentes: 2 brasileiros, 2 mexicanos, 4 italianos (3 padres e 1 estudante), 5 indonesianos (1 padre e 4 estudantes), 2 serraleoneses, 2 burundeses, 1 chadiano, 3 congoleses e 2 camaroneses. Vejam o mais bonito milagre do nosso santo fundador Conforti, a fraternidade sem fronteiras. Moramos juntos porque Cristo mesmo nos uniu e mostramos ao mundo que o sonho de Deus é fazer de todos uma só família.16 destes estudantes vão para a teologia e dois vão aprender o francês. Nossa comunidade não é auto-suficiente e dependemos da ajuda de benfeitores. Com a crise econômica elas estão diminuindo e ano passado fechamos o ano em negativo.
arquidiocese de Campinas. Nestes dois anos nunca recebi nenhum sinal de vida vindo da diocese nem de nenhum grupo de IAM ou do COMIDI. Eu recebi muito carinho e muitas notícias vindos de amigos que estão entre vocês. Entretanto penso também nos outros missionários da nossa diocese que trabalham pelo mundo esquecidos pela Igreja de origem. Meus confrades italianos, espanhois e indonesianos recebem noticias de suas dioceses. A culpa não vem de vocês porque a dimensão missionária esta nascendo no Brasil. Mas acho que já é tempo de agir. Vocês poderiam fazer uma lista dos missionários da diocese de Campinas que estão pelo mundo ou mesmo em zonas missionárias do Brasil. Descobrir seus endereços e mandar um cartão, uma revista da diocese, um pedido de testemunho, não sei, mas acho que seria um bom começo.  Quem sabe que no futuro serão nossas Igrejas do Brasil que substituirão as ajudas quem estão diminuindo na Europa.
Por fim quero agradecer as orações vindas de vocês e de nossas crianças. Tenho certeza que nos meus momentos difíceis foram elas que me sustentaram. Quero também dizer que recebi com muito pesar a notícia de nosso querido bispo Bruno. Gostei muito das suas homilias. E acreditava que seria ordenado por ele. Que ele seja uma luz la no céu intercedendo por cada um de nós e por todas as atividades e projetos da nossa diocese. Como tenho quase certeza de que vocês já sabem nosso fundador sera em breve São Guido Conforti. Esta notícia tem algumas consequências, a primeira é que o carisma xaveriano é um caminho de santidade. Assim sendo, nossa congregação deve festejar este novo sinal de aprovação do nosso carisma; A segunda é que conhecido como santo, sua espiritualidade e seu carisma são abertos à toda a Igreja à todos os cristãos e principalmente à vocês missionários apaixonados pela missão. Boas festas à todos nós!!!
E assim me despeço de vocês com um coração pleno de alegrias e saudades. Espero vê-los em breve para explicar melhor algumas das minhas afirmações. Um grande abraço, bom e belo trabalho à cada um e à cada uma. Que São Guido e Maria, mãe dos missionários, interceda por todos nós e pelas missões que tentam de maneira simples tornar Cristo mais amado e mais conhecido, primeiramente por nós mesmos e depois por todos os outros. 
Em Cristo,
Do vosso pequeno irmão,
Adriano Cunha Lima, sx