quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A Igreja e a Missão



A igreja e a Missão

A igreja de Jesus Cristo tem por essência o dever missionário de levar a Boa Nova a todos os povos. “Este foi e continua a ser o pedido último de Jesus, momentos antes de sua volta para a casa do Pai: Ide e levai a minha Boa Nova de salvação a todos os povos” (Mt 28,19).
Sabemos que a igreja de Jesus não nasceu de uma iniciativa humana e nem das necessidades pastorais da igreja apostólica. Ela tem sua origem na obra do amor exclusivo de Deus Pai em Cristo na ação do Espírito Santo pelo ser humano. Ela é hoje, em nosso meio, a Nova Aliança e uma comunidade de salvação de Deus para os homens. Partilhar da igreja de Cristo exige de nós a consciência de que nossa vida não se explica separada do amor a Deus e aos irmãos.
O mês de outubro é reconhecido pela igreja como o mês das missões, rico na recordação de santos como Santa Teresinha, São Francisco Xavier, Santa Teresa etc. É um mês dedicado a devoção do rosário. Mês em que particularmente celebramos o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Como cristãos somos todos convidados a refletir sobre nossa vocação missionária e sobre o último pedido que Jesus nos fez momentos antes de sua volta para a casa do Pai.  “Ide e levai a minha Boa Nova de salvação a todos os povos”. Temos por dever de batismo a missão de levarmos a mensagem do Evangelho para todos, começando pelos que são próximos a nós.
 Vejam: se uma pessoa que nos é muito querida fizesse um pedido no final de sua vida, com que carinho cada um de nós buscaria cumpri-lo? Cristo, o filho de Deus, o nosso único Salvador e Redentor, que nos amou ao extremo de se tornar um de nós, amando-nos a ponto de nos lavar os pés, de se doar sem limites com seu corpo e sangue na Eucaristia e que por fim se imolou na cruz para nos salvar, nos faz o pedido de levarmos adiante o que Ele nos ensinou através de sua vida. O que cada um de nós está fazendo neste sentido? Que tipo de amor é o nosso? Ensina-nos o apóstolo Paulo que todos somos eternamente devedores na gratidão ao Pai, que num amor sem limites nos deu Jesus para nossa salvação. Se não estamos fazendo nada para que esse Jesus seja mais conhecido e amado pelos irmãos, resta-nos uma conclusão: ou Cristo na pratica não é nosso valor maior ou somos verdadeiros ingratos. Os santos e as santas nada mais fizeram que doar suas próprias vidas para tornar Jesus presente na vida dos irmãos. O que estamos fazendo por Jesus e que lugar ele ocupa em nossa vida?
Como discípulos missionários de Jesus temos a missão de fazer com que Ele seja mais conhecido e amado nos que nos cercam, em nossas famílias, na comunidade e nos milhões que ainda não ouviram falar de Jesus, particularmente nos que mais sofrem. Pergunto: Poderia alguém apaixonado deixar de falar daquele a quem ama? Sejamos sinceros, se estamos agindo assim é porque Jesus é pouco amado por nós. Viver como igreja missionária nada mais é do que, no amor de gratidão a Deus, assumirmos a missão de levarmos a Boa Nova a todos os povos a partir de nossa vida, de nossas famílias e assim para toda a humanidade.

Pe Evaristo Debiasi – Assistente Eclesiástico Nacional 
AIS - Ajuda à Igreja que Sofre