sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Os seios de Deus.


Eu, incrédulo de Deus,
Descobri que os anjos moram no topo das montanhas de Minas Gerais.
Passam a noite fazendo serão,
E durante o dia tecem beleza com nuvens de algodão.
Para revestir os seios flácidos e lânguidos de Deus.
Tão pontudo e farfalhento,
Onde só se ouve o canto dos pássaros e o zunir das cigarras.
Seios divinos como os da minha mãe que me amamentou.
Meu eu sugando estes mamilos verdes sem distinção!
Autor:
Evandro Carvalho