terça-feira, 20 de maio de 2014

"Diácono Wellington Moreira, meu sim a Deus"

Uma palavra do meu amigo Wellington
Ser feliz é desejo de todo ser humano, aos poucos eu descobri algo que quero partilhar com vocês: não há felicidade longe de Jesus... Meus irmãos jovens existe sim uma verdadeira alegria. A alegria do discípulo. Não é um sentimento de bem-estar egoista, mas uma certeza que brota da fé, que serena o coração e capacita para anunciar a Boa Nova do amor de Deus. Conhecer Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria. (DA 29) A alegria do evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. (E.G). É isso irmãos, servir e seguir a Jesus é uma experiência maravilhosa que não cabe nas palavras, por isso emprestei a voz da Igreja para minha mensagem. Descobrir aos poucos que somos chamados por Jesus para ser sinal de seu amor. Sentir essa certeza no coração é algo fantástico que nos enche o coração e move nossos passos. Ainda quando pequeno desejei ser feliz, as circunstancias da vida me fizeram iniciar ainda que sem muito incentivo da família a caminhada na Igreja. Eu escutava o sino tocar anunciando a Santa missa, curioso que era fui conhecer e de lá não sai mais... Indo todos os finais de semana eu descobri que ouvindo a Palavra de Deus e tentando viver a mensagem que o padre dizia eu poderia ser melhor em casa e na escola. Logo fui convidado a ser coroinha e ai começou minha aventura maravilhosa de seguimento de Jesus mais próxima. Sempre eu dizia para mim mesmo, Wellington você pode ser feliz como esse padre que você ajuda. Sim! Ele era um Italiano que falava a todos com o coração, seu nome? Alessio Cabras, ele sorria com os olhos. Isso me motivou... eu me perguntava: Ele deixou a família, a sua terra seu idioma, sua comida e mesmo assim é feliz e não é artificial é uma alegria que só sente quem se encontrou com Jesus. A simplicidade e a verdade contida naquela vida doada me fez ver e escutar Jesus a me chamar! Não foi algo extraordinário, nenhum fenômeno sobrenatural me aconteceu, nunca vi uma imagem de nossa senhora chorar, nem caiu maná no quintal de casa, o mar nunca se abriu a minha frente, mas Deus chegou de mansinho e olhando nos meus olhos pronunciou meu nome de uma maneira que eu não sei descrever, só sei que Ele chegou sem alarde e me olhando nos olhos disse que conta comigo. Eu tive medo sim, mas ele me disse que eu não estaria sozinho jamais. E assim foi que entrei no seminário a dez anos atrás, muitos foram os desafios vividos a gente cai e levanta e hoje com a graça de Deus dou mais um passo.
Com a aprovação da Igreja fui ordenado diácono para servir e amar no dia 27 de abril, na paroquia de Timburi onde estou fazendo pastoral desde o fim de junho de 2013. Quero viver meu minis diaconato prosseguindo com meu projeto de vida: Em tudo e todos encontrar um Cristo para servir. Escolhi como lema para essa etapa de minha vocação Jo 13,1 “Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” A parte que me toca mais é o pós virgula, vejo tanta beleza nas coisas que não passam... até o fim. Amar é bom, mas até o fim faz a diferença. Amar mesmo na inutilidade, no despreparo... Pode parecer ousado demais mas mesmo assim eu sigo. Querendo ser e fazer como Jesus, o homem do madeiro. Aquele que amou todos os seus, até o fim...
Um abraço irmãos, rezem por mim e não deixem de se perguntar qual o sonho de Deus para cada um de vocês. Deus sonha com a minha e a vossa alegria. Sigamos! Não tenhamos medo de dizer sim a Jesus ele é nossa realização e o motivo de nossa alegria!
Em Cristo
Wellington Rodrigues Moreira.